Software Livre

De CLASSE - Classificação de Software Educacional Livre
Ir para: navegação, pesquisa

O que é Software Livre?

O termo Software Livre se refere aos softwares que são fornecidos aos seus usuários com a liberdade de executar, estudar, modificar e repassar (com ou sem alterações) sem que, para isso, os usuários tenham que pedir permissão ao autor do programa.

Mais precisamente, Software Livre se refere a quatro tipos de liberdade para os usuários do software (fonte: "O que é o Software Livre?", disponível em <http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.pt-br.html>):

1. A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade nº 0)

2. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades (liberdade nº 1). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

3. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo (liberdade nº 2).

4. A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie (liberdade nº 3). Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

Notem que os quatro itens acima não fazem nenhuma referência a custos ou preços. O fato de se cobrar ou não pela distribuição ou pela licença de uso do software não implica diretamente em ser o software livre ou não. Software Livre é uma questão de liberdade, não de preço. Nada impede que uma cópia adquirida por você seja revendida, tenha ela sido modificada ou não por você.

Licenças Livres

A maioria dos softwares livres têm como licença a GNU GPL. É um contrato definido entre o desenvolvedor do software (uma pessoa ou uma organização, por exemplo) e um usuário do software que apresenta, dentre outros pontos, sob quais autorizações concedidas pelo desenvolvedor o usuário pode usar aquele software. Softwares livres distribuídos sob esta licença seguem um conceito conhecido como Copyleft, que se baseia na propagação dos direitos. Ou seja, um software livre sem copyleft pode ser tornado proprietário por um usuário. Já um software livre protegido por uma licença que ofereça Copyleft deverá, se distribuído, ser distribuído sob a mesma licença, ou seja, repassando os direitos. Em todo caso, não é necessário redistribuir um software livre modificado.

Entendendo melhor as liberdades

A liberdade de utilizar um programa significa a liberdade para qualquer tipo de pessoa física ou jurídica utilizar o software em qualquer tipo de sistema computacional, para qualquer tipo de trabalho ou atividade, sem que seja necessário comunicar ao desenvolvedor ou a qualquer outra entidade em especial.

A liberdade de redistribuir deve incluir a possibilidade de se repassar tanto os códigos-fonte quanto os arquivos binários gerados da compilação desses códigos, quando isso é possível, seja o programa original ou uma versão modificada. Não é preciso pedir autorização do autor ou do distribuidor do software para que ele possa ser redistribuido, já que as licenças de software livre já dão prévia autorização.

Para que seja possível modificar o software (para uso particular ou para distribuir) é necessário ter o código-fonte. Por isso o acesso aos fontes é pré-requisito para a liberdade do software. Caso ele não seja distribuido junto com os executáveis, deve ser disponibilizado em local de onde possa ser baixado, ou deve ser entregue ao usuário, se solicitado, sem custos adicionais (ou cobrando-se apenas transporte e mídia).

Para que essas liberdades sejam reais, elas têm que ser irrevogáveis, desde que você não faça nada errado; caso o desenvolvedor do software tenha o poder de revogar a licença, mesmo que você não tenha dado motivo, o software não é livre.

 Este texto, que é licenciado sobre a FDL, foi retirado de http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_livre
 e sofreu pequenas alterações de forma e conteúdo.